Amor e Paixão

Quando falamos em amor e paixão, muitas vezes não vemos diferença entre essas duas palavras.
A diferença é imensa, tenho um exemplo muito interessante ao meu ponto de vista: Duas pessoas recebem a mesma quantidade de lenha, sendo que uma delas, queima toda a lenha de uma só vez, enquanto a outra queima uma lenha de cada vez.
O resultado que se tem daquele que queimou toda a lenha, é uma fogueira gigantesca, ardente, intensa e poderosa, porém, ela tem uma duração curta, logo toda a lenha terá sido inteiramente consumida. No segundo caso, temos uma fogueira branda, equilibrada, constante, controlável e segura, que talvez nunca se apague.

É preciso ter certeza do sentimento, pois na paixão, somos capazes de dizer com toda firmeza que amamos, mas nos esquecemos de que a paixão é muito mais intensa do que o amor e é um sentimento extremo.

 O amor é algo eterno, não está ligado a sexo, seu vínculo principal é a amizade, lealdade, companheirismo, liberdade, cumplicidade e acima de tudo, a confiança.

A paixão ao meu ver, num relacionamento é extremamente necessária, ela evita que o relacionamento caia somente no "amor", a ponto de virar uma amizade apenas, e fazer com que um casal perca a atração e o interesse físico pelo outro, algo importante para uma relação duradoura e sadia. A paixão diminui com o passar dos anos, então podemos sempre fazer com que ela volte, com pequenos elementos da conquista, presentes sinceros, um simples jantar à dois, voltar a reconhecer o parceiro, o jogo da sedução, enfim, trabalhar para que nunca isso se acabe, sempre que sentir que o namoro/noivado/casamento esteja prestes a cair na rotina.


Mais sobre este assunto em: Rotina Destruidora do Casal
Não traia seu amor, você estará traindo a sí mesmo.