Amizade e família: até quando vale a pena abdicar deles por alguém?

Algumas pessoas nunca mudam os hábitos. Vale a pena sacrificar amigos e família por elas?

Nosso leitor de hoje, fala de forma diferente sobre um problema que muitas pessoas passam: Pessoas que não mudam seu hábitos, família e amigos que não aceitam aquela relação e se afastam.

 O tema é abordado forma interessante, com exemplos bem comuns. O desabafo de hoje é diferente.


 Riscos e Realidades

Recentemente após uma longa jornada repleta de buracos, barrancos, pirambeiras e penhascos, percebi que para que um relacionamento dê certo, não basta apenas querer mas sim, se dedicar e assumir riscos e novas realidades.
Como diria dr. House, “people don´t change” – e não mudam mesmo. O que acontece são desdobramentos de uma mesma personalidade, ou seja, uma readequação.
Deixa eu ver se consigo explicar melhor com exemplos simples e hipotéticos (vejam bem, hipotéticos):

- A irmã do seu namorado é um pé no saco, vive te provocando e querendo te tirar do sério torcendo para que o seu relacionamento não dê certo.

Como uma mulher prática e independente, a melhor solução seria contratar um assassino de aluguel (para que remediar o que não tem jeito?). Gente chata e insuportável existe em todo o lugar e conforme Dr. House, elas não vão mudar.
 A solução mais rápida é mesmo acabar com essa chatice da sua vida de uma vez por todas. Porém, como já dissemos, pessoas assim, existem em qualquer lugar. Então não vai adiantar “matar” uma, pois esse tipo de gente parece praga! A não ser que você decida andar com uma metralhadora! rs

Nós mulheres práticas, independentes e superiores, somos mais inteligentes!
 Nós armamos uma situação onde a pessoa chata “acha” que não gostamos do que ela disse, mas não tem provas de que não gostamos.

 Em pensamento, mandamos ela para “aquele lugar”, mas em “corpo presente”, fazemos cara de anjo com um certo olhar de desgosto. Fazendo assim, com o tempo a donzela, se tornará donzela azeda e a tendência será “pegar” menos no nosso pé ou pode até continuar pegando no nosso pé,mas como resolvemos em prol da felicidade a dois (que só cabe aos dois) parar de dar tanta importância para o que ela ou qualquer outro membro da família fale, as palavras ditas serão palavras esquecidas.

Outro exemplo hipotético:

Suas amigas não gostam do seu namorado, acham que é uma pessoa grossa, estúpida, arrogante, egocêntrico e sem educação. Como não vão com a cara dele, sempre te chamam para sair, quando sabem que não está com ele. Quando você decide que só sairá com elas, junto com ele presente, elas se afastam e você acaba ficando sem amigos.

A pergunta é: nos relacionamentos, até que ponto as pessoas estão dispostas a assumir riscos e enfrentar novas realidades?


Você está disposta a abdicar suas amizades ou até abdicar sua família? 


Como saber se vale a pena “ceder” tanto em prol de um relacionamento?

Dile