Tínhamos tudo pra dar certo

Melhor amiga, melhor namorada, e um coração partido

No desabafo do leitor de hoje, temos uma história que começa com amizade, passa por amor, deixando um coração partido... ou quem sabe dois?


Erros fatais



Este desabafo é sobre como cometer 3 erros de uma vez (Amiga, Trabalho, Namorado)

 Meu caso começa na metade de 2010. Após uma mudança de sala, o trabalho me coloca próximo a uma colega de trabalho que até então mal conhecia.

 Ela, Mariana, 18 anos e namorando sério há 3 anos. Eu, 25 anos e solteiro por opção.

 A convivência diária tornou o coleguismo em amizade rapidamente. Nos falávamos todos os dias sobre todos os assuntos possíveis. Piadas, bilhetes e surpresinhas de ambas as partes faziam os dias mais divertidos. Ela me dava dicas sobre as amigas, e eu ADORAVA, pois era muito afim de uma amiga dela. O tempo passava e a amizade cada vez maior. Não tínhamos nenhum interesse até então.

 Sempre conversávamos sobre como eu estava feliz com um namoro que engatei durante uns 5 meses. Até que ela passou a dizer de “brincadeira" que sentia ciúmes da minha namorada.

 No final de 2010, ela tinha sido transferida de setor, mas amizade continuava. Meu namoro acabou e como ela era MUITO minha amiga sabia de tudo que aconteceu. Nesta época elogios passaram a ser freqüente.

 Final de ano e como sempre a tradicional confraternização da empresa. Ela com o namorado e eu solteiro. Conversamos por alguns minutos até eu disse "Que pena que você veio com seu namorado" de brincadeira.
 Nas semanas seguintes a cantada deixou de ser "brincadeira", até que, em um churrasco do setor eu parti pra cima e comecei a xavecar pra valer. Como ela tinha namorado concordamos que não dava pra ser no meio do pessoal do trabalho e combinamos de sair às escondidas.

 Na semana seguinte, entre o natal e o ano novo, saímos do trabalho e fomos direto pro motel. Acabamos não transando, mas aproveitamos bem.
 Passei o ano novo em Santa Cataria de férias. Foram 20 dias no paraíso que aproveitei ao máximo. Trocamos alguns SMS, mas nada sério.

 Na volta, eu queria muito transar com ela e em uma semana transamos.
 Fizemos isso janeiro e fevereiro.
 Durante o serviço: amizade. Depois: sexo.
 E após transar levava pra casa dela e ia tranqüilo pra minha. Sem nenhum compromisso, ela tinha namorado e eu não queria compromisso.

 No final de fevereiro ela terminou com o namorado pela 1ª vez. Eu não dei a menor importância. Eles acabaram voltando. Pra mim estava ótimo!
 Demos um tempo no sexo em março, mas a amizade, os xavecos e o tesão estavam cada vez maiores. Depois de conversar o dia inteiro no serviço, trocávamos SMS à noite e nos finais de semana.

 Entre março e abril ela me dizia que o namoro estava ruim e que não parava de pensar em mim. Eu, que no começo só queria transar, estava sentindo a mesma coisa e queria mais que só sexo. Estava me apaixonando por ela e deixei acontecer.
 Comecei a convidá-la pra sair e ao mesmo dava dicas que não ia mais sair com ela enquanto ela não terminasse o namoro.

 Meio de abril, eu estava completamente apaixonado. SMS, ligações e caronas do trabalho pra casa eram freqüentes. Até que, em um sábado, ela me manda um SMS dizendo que tinha terminado. Na hora liguei pra ela e combinamos de sair à noite, seria a primeira vez que iríamos a outro lugar que não o motel.
 Fomos pra um lugar longe já que ela tinha terminado no mesmo dia.
 Cinema, barzinho e motel. Todo mundo estava atrás dela, ex-namorado, amigos, família.
 A noite tinha sido boa, estava feliz e achava que ela não ia voltar.
 Era o começo do meu sofrimento. Na 2ª feira ela me diz que voltou com o namorado. Todos na empresa perceberam que estávamos muito tristes.
 No mesmo dia fui na casa dela, e conversamos. Falei tudo o que sentia, falei que gostava muito dela e queria ficar com ela. Ela repetiu que gostava muito de mim, mas disse que voltou, pois não queria deixar o namorado triste e era complicado, pois eles estudam juntos, tem os mesmos amigos e iriam se ver diariamente.

 Na semana seguinte, ofereci uma carona pra ela, pra conversarmos. Abri meu coração pra ela, falei que estava com muita saudade e que gostava realmente dela. Ela disse as mesmas coisas e acabamos ficando umas 3 horas entre conversas e beijos dentro do meu carro em uma rua escura com o namorado louco atrás dela.

 Na sexta feira, ela me liga falando que o namoro tinha terminado. Fiquei com o pé atrás, mas combinamos de sair. Saímos na sexta e no sábado.
 Agi como se ela não tivesse recém terminado o namoro e não toquei no assunto. Fiz de tudo para que a noite fosse divertida e ficássemos felizes.

 No sábado acabamos transando, e em uma delas sem camisinha. No caminho de volta conversamos sobre o assunto e ela disse que não tomava anticoncepcional. Na hora fizemos as contas, era o período fértil dela. Domingo, fui até a farmácia pra comprar a pílula do dia seguinte, agora era só torcer pra que de tudo certo.
 Na 2ª e 3ª estava tudo ótimo até que 4ª feira ela misteriosamente some. Na 5ª e 6ª ela não atende meus telefonemas nem retorna os SMS. Penso em ir até a casa dela, mas acabo desistindo.
 Semana seguinte ela me fala que estava triste pelo o que ela tinha feito, mas que tinha voltado com namorado. Desde então não nos falamos mais. A amizade morreu, tentamos disfarçar o clima no trabalho, mas algumas pessoas notam que há algo estranho entre nós.
 Tentei conversar algumas vezes com ela, mas ela me ignora, é grossa.

 Minhas últimas namoradas foram ótimas, mas não deixaram saudades. Já a Mariana está me matando de saudades. Nunca fui um cara que se humilha pelas mulheres e estou tentando esquecê-la, mas depois de 20 dias entre dúvidas, raiva e aceitação ainda me pego pensando nela e tentando entender o que tinha mudado.

 Perdi uma das minhas melhores amigas, o clima entre nós no trabalho não anda nada bom. Só posso concluir que não pretendo cometer os 3 erros novamente, talvez 1 ou 2 eu volte a cometer mas amigas, com namorado e que trabalham na mesma empresa não mais!

 Semana passada recebi duas boas notícias, a primeira que ela não estava grávida (thanks God), a segunda que recebi uma proposta irrecusável de trabalho em SP.
 Não tenho a menor idéia do que fazer. Aceitar a proposta de trabalho significa que terei de desistir de uma das poucas garotas que me tira o sono.

@umombroamigo

Um dos grandes erros como sempre, é quando entramos de cabeça em uma relação onde não somos o primeiro. Você era o amante, querendo ou não, e teve uma espécie de "aviso" várias vezes, quando ela resolvia voltar para o namorado. Pode acontecer de uma pessoa ficar dividida entre dois amores, inclusive este é um dos posts com mais comentários aqui no blog. Ela deve ter ficado dividida por um bom tempo, até chegar a uma decisão definitiva, mas parece que ela escolheu o outro. Você agora deve dar tempo ao tempo. Ir para o emprego novo, dar um espaço nisso tudo, e quando a poeira baixar, ela poderá perceber se era mesmo você o homem que ela queria, ou você terá superado pelo menos um pouco a perda.