Somos o oposto, será que dá certo?

Como fazer ele confiar mais e ser menos ciumento?

Ele quer uma coisa, ela quer outra. Ela planeja um futuro totalmente diferente do que ele quer.

Ele é caseiro e ela não.
No desabafo de hoje, nossa leitora quer passar mais segurança para o namorado, ao mesmo tempo que quer se focar em seu futuro. Ela gosta de sair, ele é ciumento, dá certo isso?

Não consigo ser carinhosa.

Olá, tenho 18 anos e o cara que eu namoro 22. Estamos juntos a mais ou menos uns 3 meses. Nós nos amamos, isso é fato. Entretanto, ele é excessivamente ciumento e caseiro, eu sou o oposto.

Sempre quando saímos, fazendo as coisas que eu gosto, ele emburra por algum motivo ridículo e me faz perder a noite, fora o fato de sempre ser apenas só nós dois, digo, nunca saímos com mais gente. Estou cansada, como pode perceber. Ah, e nem vou mencionar a enorme influencia que a mãe dele tem sobre ele. (Até o chip do meu celular ela palpitou, como se eu só falasse com ele -.-').

Pedi um tempo.
Conversamos, e em um dos nossos papos chegamos a conclusão que ele era inseguro, característica que aumenta o ciúmes. Mas, por outro lado, ele se sente em segundo plano do relacionamento. E, refletindo bem, é exatamente isso que acontece. Estou no segundo semestre de Eng. Civil da UNESP, quero viajar o mundo, estudar, e escrever... e ele quer apenas voltar para a cidade natal e cuidar das fazendas do pai. Enquanto eu estou com gás, ele está andando com passos de formigas e sem vontade.
Sempre fui muito romântica e sonhadora, só que já sofri demais.

 Ele é o meu primeiro namorado, e apesar de nunca ter tido rolos sérios, certos romantismos parecem clichê para mim.
Só que ele sente falta disso, e eu não faço a mínima ideia de como ser mais carinhosa, tenho medo de demonstrar demais o que eu sinto e depois ele me largar, porque eu sei que os homens sempre querem a mais difícil.
Como o nosso relacionamento está, dá a entender que ele é um mero acessório na minha vida. Afinal, eu preciso correr atrás do meu futuro, e eu nem sei como a gente vai estar mais para frente.

Pelo fato (eu acho) deu ter demorado para namorar, eu vi em minhas amigas coisas que eu achava ridículo que um casal faça, mas hoje eu percebo que todas essas minhas regras estão prendendo ele.Ele tem medo de fazer certas coisas, de eu não gostar e brigarmos.. ta aí que está a insegurança dele, medo de me perder, o que é estranho, porque tem coisas que a gente não pode evitar. Nada acontece por acaso.
Ele quer se transformar no cara que eu quero para mim, mas o problema que eu não sei qual tipo de cara é bom para mim.

Então eu cheguei a conclusão de que preciso fazer com que ele se sinta indispensável na minha vida, então ele se sentirá mais seguro, menos ciumento, e poderemos curtir uma noite de balada sem que ninguém saia emburrado, afinal, se A é B, e B é C, então A é C.

Não diga que eu estou tentando resolver o problema todo sozinha. Ele está fazendo a parte dele. O tempo que a gente deu foi importante para ele refletir e pensar no que mudar, mas como ele é só 50% do relacionamento, os outros 50 tem que dar a sua colaboração também.
Então me diga, como faço para ser mais carinhosa?

Alguém tem alguma observação a respeito da minha situação?
Toda teoria é bem vinda. ^^

Lari
imagem-getty


"ele é excessivamente ciumento e caseiro, eu sou o oposto."

Além do fator idade - que você não quer se prender em um namoro e já tenha vivido muitas outras experiências com apenas 18 anos, o mais notável é o fato de que vocês caminham em direção oposta. 

Toda essa coisa de que opostos se atraem é lenda, e a única coisa que acontece são duas pessoas discutindo frequentemente comportamento e conceitos diferentes, já que ambas tem uma criação e visão que colide.

 "...ele emburra por algum motivo ridículo e me faz perder a noite..."

De uma forma geral a relação de vocês gira em torno da falta de confiança. 
Você passa segurança pra ele o suficiente? Você é capaz de traí-lo?

Ele tem medo de te perder, medo de algo que você tantas vezes menciona, que é "ir para fora", e ele caseiro querendo o oposto, sossego. 

"Mas, por outro lado, ele se sente em segundo plano do relacionamento."

Você precisa se decidir. Você quer mesmo ficar com ele? Ele está no segundo plano porque não é a prioridade da sua vida agora. Você ficaria muito triste se o perdesse?

Você precisa ser clara com ele, fazer ele perceber que o mundo não gira em torno dele apenas, ao mesmo tempo, se você quer mesmo ficar com ele, tem sempre que dizer o que sente, o que deseja, tudo em pratos limpos, para que ele possa confiar em você e decidir se te quer assim mesmo.

Se você está disposta a sempre ser fiel, deixar claro pra ele tudo o que pensa - é assim que nasce a confiança, com intimidade - , ele poderia se tornar menos possessivo. Outro problema é você identificar se os ciúmes dele realmente tem motivos e pode sumir, ou se é da natureza dele, de ser assim inseguro sempre. No segundo caso, não importa que você deixe de viver por ele, ele sempre seria esse tipo de homem.

Muitas vezes o ciúme existe por medo da perda. Quem luta e custa muito pra ter alguém ou alguma coisa, dá mais valor àquilo, e por isso tende a "cuidar mais".
Você passa segurança pra ele? Você deixa claro pra ele que não vai deixá-lo? Ou o contrário? 


Não adianta ficar insegura. Se não quer se entregar totalmente com medo de perder, nem é bom continuar um namoro de forma superficial.


Leia também: