Tudo o que você precisa saber sobre levar um fora.

Experiências incomuns tendem a machucar muito mais do que as corriqueiras.

Se você está não acostumado(a) a chegar ou se declarar para quem está afim, entendeu o que eu quis dizer.
É tudo medo. O coração acelerado e as mãos frias quando temos que fazer algo, mas você acaba botando tudo na balança e achando que não vale a pena correr o risco.



Medo de que? De pagar mico?

Ninguém quer sentir vergonha, isso é fato. Nós temos mecanismos de defesa na nossa mente, que nos avisa sobre situações desagradáveis e nos impede de tomar certas ações.

Porque eu deveria chegar naquela menina e me declarar, se posso simplesmente ficar aqui e não passar vergonha alguma, constrangimento, pagar mico? Este tipo de pensamento fica impregnado na nossa mente e sai de forma automática.

Quanto mais tímido mais evidente fica.

O fato, é que você está perdendo a chance de ganhar experiência em se declarar, arriscando um sim ou o não, ao mesmo tempo em que torna a situação menos pesada na sua cabeça.

Trivialidade


Tudo o que fazemos na primeira vez ou que ainda está no início - novidade - é mais interessante, assustador, ou não sabemos lidar, ou é estranho.

Pense numa viagem. Se você viaja sempre para o mesmo lugar, logo vai se cansar daquilo. Que sejam férias. Quanto mais tempo fica ali, mais vontade de voltar pra casa você tem.

Ao deixar de ser uma novidade, você tende a mesclar a situação com a sua vida normal, e tudo vira rotina.

Rotina, é a palavra. Nem tudo o que vira rotina é ruim. Um namoro cair na rotina pode ser destrutivo, mas se declarar pra alguém ou chegar em um menino/menina várias vezes (tomando fora ou não), vai fazer com que você ligue bem menos para as consequências e perca o medo. O ato vira trivial.

Lidar com pessoas, conversar com elas, aconselhar, puxar papo, abraçar estranhos, tudo exige uma certa prática, se acostumar a fazer, e quanto mais fazemos, melhor ficamos naquilo.

A gente se aprimora na prática. Truques pequenos e segredos particulares, situações específicas, são coisas difíceis de colocar num livro para se aprender.

Para lidar com o fora, é preciso... levar foras...

Experimentar.

Você deve estar pensando que tomar um fora é vergonhoso, mas a expectativa que sua defesa está criando diante disso é muito maior do que a coisa realmente é.

Quebre a barreira do medo e faça o que tem que fazer. Acredite que a outra pessoa também vai evitar que a situação fique ruim demais caso a resposta seja não, dando uma desculpa que vai aliviar bastante o clima.

Sorria e saia dali de cabeça erguida.
Se era alguém que você não conhece, daqui a pouco vocês terão esquecido. Não existe só essa pessoa no mundo.

Se era alguém que você queria se declarar faz tempo, saia dali sorrindo e ao invés de vergonha e culpa, busque dentro de você o sentimento de liberdade, é ele que precisa prevalecer.

Se você tinha alguma chance, pode demorar um pouco até que a pessoa admita que goste de você. Mas nada irá acontecer se você não sair do armário.

Agora, que tudo passou, você agora está livre das correntes e já pode planejar seu próximo passo. Finalmente, pode seguir em frente ou procurar outra pessoa.

Pense na sensação de alívio ao invés da vergonha.

Pense em outros garotos e garotas.

Busque o "tudo bem" invés de "já era".

Pense que quanto mais você chegar na pessoa, menos você se importará com a "dor" (que inicialmente é dor e depois não é nada) se alguma coisa der errado.