Erros, culpa e promessas.

Erros são como experiências de trabalho, onde aprendemos na prática. Na maioria das vezes sabemos na teoria o que é certo e errado, e ainda sim fazemos aquilo.

Quando temos o sentimento de culpa, martelamos este erro por muito tempo, nos  martirizando e nos punindo sempre.

O que devemos saber sobre os erros que cometemos?


1) Todo mundo erra. 

Não adianta se culpar só por culpar, errar faz parte do processo, e errar é genuinamente natural. Você deve entender a função da culpa, de sentir isso.

2) Você erra, você aprende.

Erros precisam ser lições. Você precisa aprender com eles para não fazer de novo, ou se fizer novamente, alguma coisa deve ter mudado.

Vamos pensar por exemplo numa traição, que é um assunto muito recorrente aqui no blog, se você traiu uma vez por algum motivo e se arrependeu, você aprendeu com o erro, mas depois da segunda vez, você precisa mudar totalmente o caminho trilhado. Explico no item 3.

3) Erros se repetindo, solução diferente.

Quando um erro começa a se repetir constantemente, e com a mesma "solução" de sempre (pedidos de desculpas, juramentos e promessas, boas ações apenas no início) , não temos resultado e voltamos a cometê-lo, é hora de alguma coisa radical.

Ou você não está pronto pra assumir alguma responsabilidade, ou você não aprendeu, ou a solução não é exatamente mudar você, e sim  o ambiente.

No caso da traição por exemplo, sua relação pode não ter futuro. Você não gosta da pessoa o suficiente, já que de alguma forma se envolveu com outra pessoa, e quando existe a dúvida, geralmente continuar com a pessoa traída por culpa através do perdão, é um erro MUITO MAIOR do que você imagina.
Alguns casais continuam junto por amizade e carinho, enquanto o respeito já foi embora faz tempo. Talvez você não esteja sentindo a mesma coisa que sentia no início, e está se punindo da felicidade, onde a separação seria a melhor resposta, só por causa da culpa. Assim, você corre o risco de fazer tudo de novo... algo inevitável que não seria um erro se você não estivesse comprometido.

Cometemos mais erros quando somos mais jovens, somos mais impulsivos, é a forma do nosso cérebro atuar nesta época, e fatalmente você irá se arrepender até mesmo de ter se arrependido.

Devo sentir culpa?

Uma vez aprendida a lição, não deve haver culpa. Livre-se dela.

Se alguém está te culpando de algo, ignore. Muitas vezes jogamos a culpa nos outros por covardia ou medo de assumir.

Assumir a culpa não quer dizer colar um cartaz na sua mente com ela exposta, para que se lembre todos os dias. Assumir a culpa significa dizer sim, aprender a lição, e seguir em frente. Por favor, não desenterre uma coisa que NÃO TEM SOLUÇÃO.

Lembre-se do velho ditado: Não adianta chorar pelo leite derramado. Não há mais nada que você possa fazer.

A culpa deve apenas servir como um alerta de que alguma coisa está errada, assim como funciona a dor. Depois de localizar o foco, devemos pensar naquilo, resolver o problema da melhor forma possível.

Algumas vezes, erramos por causa do ambiente em que fomos inseridos. Você faz algo que não tem o costume de fazer, geralmente influenciado pelas atitudes de outrem. Você pode brigar com alguém, ficar muito nervoso, copiar sem querer as atitudes e hábitos da outra pessoa (algo que ela tem o costume de fazer), mesmo que você não goste daquilo, pode acontecer por causa do convívio.

A companhia de outras pessoas também moldam nosso caráter entre outras coisas. Lembre-se disso. Só que você NÃO irá definir o que deve vair mudado, é natural - andar com pessoas inteligentes, nos faz aprender coisas novas, dá vontade de buscar conhecimento, por exemplo. Neste caso, se alguém sempre faz coisas erradas, tem maus hábitos, fatalmente você poderá "herdar" alguns deles só de estar perto.

Nada disso vai deixar de ser um erro, só que você está condenado a cometê-lo por estar próximo a esta pessoa.

O que isso tudo tem a ensinar, é que nem sempre adianta você se punir por algo que fez, se a fonte disso te influencia dia após dia. Não adianta querer apostar em sentimentos, dar o melhor de si, se o outro faz o contrário. Não adianta se punir por um erro que AMBOS cometeram, se APENAS você realmente se importa. Nem mesmo devemos fazer promessas que não vamos devemos, promessas que irão nos machucar, que não podemos cumprir, só para agradar outra pessoa. Quando você quebrar tal promessa - algo super previsível neste caso -, você irá se culpar por algo que estava em sua natureza fazer.

Cuidado ao acreditar em promessas milagrosas, e cuidado ao prometer coisas que você não quer de verdade. Seriam promessas burras, só pra fazer a gente sentir culpa depois.