Padrão de beleza da sociedade ou preguiça de verdade?

Sabemos que existem os estereótipos perfeitos, que nem são "ideais" de tão utópicos de alcançar. Muita maquiagem, photoshop, academia, chapinha, e estamos o tempo todo cercados por uma beleza que desejamos e não possuímos - nunca possuiremos.

No meio disso tudo, surgiu uma tendência que é criticar à fundo os famosos corpos esculturais, para exaltar a "beleza natural" e até mesmo a obesidade.

A obesidade é uma doença. Devemos estar conscientes de que uma doença é algo negativo para nossa saúde. Estar satisfeito com o corpo, não quer dizer sinal aberto para comer todas as guloseimas calóricas e pobres de vitaminas que precisamos à vontade.

Existe o lado bom do padrão imposto pela mídia. Sim, existe. Tendemos a ser negativos demais e extremistas algumas vezes, e costumamos perder o limite do equilíbrio quando tocamos em assuntos relacionados à repressão.

Beleza não é ruim, se sentir belo faz bem. Hoje temos o padrão de corpo magro - não estamos falando de anoréxico - estamos falando de um padrão que pode instigar as pessoas a fazerem exercícios regularmente, caminhar de vez enquando, mudar hábitos alimentares. Não estamos falando de ficar igual a uma atriz, o ponto é que ter um objetivo, mesmo que seja utópico, pode nos trazer a vontade de mudar uma rotina que nos faz negativos.

Os padrões de beleza existem, e sempre irão existir. Eu e você, que criticamos tanto tais padrões, acabamos  por utilizá-los até em nossas escolhas tantas vezes. Estes padrões não irão mudar, mas você pode mudar a forma negativa de vê-los e transformar um inimigo em um aliado, num processo de mudanças.
Você é o que você come.
Tudo em excesso faz mal.

  • Ser escravo da beleza, torna você superficial.
  • Não ter vaidade, bombardeia sua auto-estima.
  • Não fazer exercícios ou cuidar da alimentação, causa aumento de peso e doenças diversas.
  • Ser viciado em exercícios também causa problemas e deformações.

Você não deve se preocupar em ficar igual a uma modelo, mas você pode ter a informação de que todos nós achamos eles bonitos, e se você procura ser desejado de alguma forma, pode tentar se aproximar um pouquinho daquele padrão que gosta mais.

Veja por exemplo, os homens brasileiros não gostam de mulheres muito magras no geral, o que torna muito mais fácil o trabalho de se tornar atraente fisicamente. Algumas pessoas não tem facilidade em tomar atitudes, não tem uma personalidade carismática, então o físico poderia ser uma ajuda na tarefa da conquista.

Você está criticando os padrões de beleza porque?

Criticar excessos e extremos é necessário, deve ser feito. Devemos alertar sempre as pessoas que estão presas a comportamentos fanáticos, já que são prejudiciais.

O que devemos tomar cuidado, é quando usamos as críticas para nos esconder atrás de nós mesmos, e alimentar a preguiça que nos envolve, nos impedindo de melhorar alguma coisa. Muitas vezes, criticamos tais padrões, porque nos sentimos feios. A verdade, é que na maioria das vezes, tal sentimento se aproxima da inveja, de perceber que o caminho até ele é árduo, então resolvemos nivelar por baixo, exaltando nossa preguiça de mudar.

Tome cuidado com isso.

Tirando todo o photoshop das modelos, tirando a maquiagem, sobra uma pessoa normal, com manchas na pele, estrias, celulite, pintas, cicatrizes, mas que faz exercícios, tem horários para comer, vai ao salão etc...

Dentro das suas possibilidades financeiras e disponibilidade de tempo, você tem feito algo pela sua saúde e beleza física? Já percebeu que muitas garotas da escola quando se tornam mais velhas e aprendem a se cuidar, ficam mais bonitas? Você já tentou mudar o corte do cabelo, mudar o estilo de se vestir, aquele mesmo estilo que você diz que não gosta, sair do casulo e experimentar o novo? Faça isso. 

Você pode e deve criticar os extremos, mas deve tomar cuidado, caso comece a usar isso como desculpas para não mudar seus hábitos ruins.

Vejam também a crítica aos padrões de beleza aqui: