O que faz você se apaixonar, pode não definir sua felicidade com a pessoa.

Você já deve ter percebido, que algumas pessoas são especiais demais, e que você gostaria de se apaixonar por elas e não consegue. tudo o que você consegue, é colocá-la num banco de espera de molho, na friendzone. A gente sabe que a pessoa é perfeita, sabe que se a gente se apaixonasse por ela, tudo seria perfeito na relação. Acontece que você acaba gostando da pessoa errada, pelos motivos "errados" (ou certíssimos).

Basicamente, existe aquela química, que faz com que você queira alguém. Existe um desejo sexual, você se permite imaginar fazendo sexo com aquela pessoa, você deseja a pessoa por algumas características físicas, ou pelo jeito da pessoa andar, pela pose, olhar enfim, tudo isso vai te deixar apaixonado.

Um dia desses vi um filme, onde o personagem se apaixona pela mulher à primeira vista. A única coisa que ele tinha de informação, era a beleza dela. Se eles ficassem juntos, isto seria o suficiente pra que eles tivessem um relacionamento de sucesso?

Não mesmo!


Por incrível que pareça, a maioria dos relacionamentos está fadado ao fracasso, justamente porque o que te faz querer alguém, não tem nada a ver com o que você precisa para ter um namoro duradouro. Os motivos pelos quais nos apaixonamos, estão ligados a instintos, ao lado mais animal e primitivo do ser humano, enquanto o que faz uma relação dar certo, está ligado à parte lógica, social, moral de cada pessoa.

O namoro existe exatamente por isso. Agora que vocês passaram da primeira fase de "compatibilidade
física", vocês irão tentar a compatibilidade social. O que vocês gostam em comum? Quais valores você defende e acredita, que o seu amor não gosta. Coisas simples como "gostar de cachorro", "tipo de religião" e  "odeio videogames", são cruciais para definir o quão duradouro vai ser sua relação.

A lição de hoje, pode ser interessante pra você que está dividido entre dois amores. As duas pessoas te suprem na parte social do amor? Tome bastante cuidado com o desejo físico, a parte de necessidade e paixão corporal. Quem você deseja tanto, pode ser uma borboleta enquanto você vive em um aquário. Tendemos a nos enganar quando desejamos com paixão alguém, fingimos gostar das manias e coisas que a outra pessoa gosta, fingimos nos adequar e relevamos coisas que são extremamente importantes pra nós.

No final das contas, quando a razão chegar, percebemos que não tínhamos nada a ver com a pessoa, e persistimos numa relação que só existe agora por pena de abandonar, por decisões amarradas demais e que você não tem coragem de desfazer.

Você pode gostar de alguém pelo que ela é, mas não sentir aquele impacto necessário para iniciar o contato físico com ela. É possível criar o desejo onde não se tem também. É possível que, separando as coisas e entendendo a situação, você consiga tomar a decisão certa.  É necessário ter pelo menos, um pouco (ou muito) das duas coisas.