A fórmula para superar a dor-de-cotovelo: Tempo + Resistência


T+R, praticamente uma questão matemática não tão simples de se resolver. Neste momento, você está sofrendo e não sabe como irá suportar passar por este período difícil.

É separação, é dor de cotovelo, é a vontade de esquecer lutando contra outra vontade de nunca esquecer. Como lidar com isso?




Quanto mais recente for o ocorrido, como uma ferida que acabou de se abrir, mais intensa será a dor. A pior parte é ter que suportar a vontade de agir por impulso.

Quando falo resistir, me refiro a você não ligar para a pessoa, não ensaiar mentalmente diálogos com ela, ignorar frases perfeitas que você pode formular, indiretas ou qualquer coisa que te coloque em contato com a pessoa.

Cada passo na direção oposta da pessoa, é um passo para a superação. Quanto mais você suportar não entrar em contato e ignorar a presença dela no mundo, mais rápido será seu esquecimento.

Lide com o fato de que você deu mais importância a ela do que ela deu a você. Na nossa vida, algumas pessoas são menos ou mais importantes e com todo mundo é assim. Não lamente isso, apenas lide.

Pouco pouco você vai perceber que a pessoa ficou para trás. Você automaticamente irá evitar se lembrar dela ou do que tiveram juntos ou do sentimento, porque vai saber que aquilo só vai te fazer mal e te levar pra uma situação sem saída.

Pode ser que você fique com uma cicatriz, sinta um frio na barriga todas as vezes que der de cara com a pessoa. Mantenha sua posição firme, e lembre-se que já não dói do mesmo jeito que doía há três meses.

Pode ser que você sinta um pouco de rancor agora. Se ainda dói, é sinal de que você não está pronto pra ter uma amizade ou voltar a ter contato com a pessoa.

Como uma mágica, em algum momento você vai ver que não sente mais nada. No máximo serão lembranças confusas, mas que não é amor.

Pense na sua recuperação amorosa como um acidente. No início é insuportável, você vai querer gritar, chorar, e muitas vezes não vai ter como segurar isso. Aos poucos você se regenera. Seu cérebro esquece pouco a pouco. Você se lembra da mesma forma, de cada detalhe do último jantar de natal como no dia seguinte se alguém te perguntasse? Com certeza não. Assim é a nossa mente. Uma sombra embaçada daquilo que aconteceu vai estar lá, afinal de contas o que aconteceu não vai deixar de existir. Passado é passado. 

"Tempo + Resistência, esquecer alguém depende de resistir à dor enquanto o tempo passa." Gisa Castro.